VAI REMODELAR A SUA CASA ANTIGA? VEJA AS NOSSAS DICAS!
« Voltar atrás

É verdade que uma casa antiga tem um charme especial, graças à história que têm e aos materiais de que são feitas. No entanto, a manutenção destes espaços pode ser uma dor de cabeça, já que deve estar sempre em cima do acontecimento para evitar grandes complicações. Se está a planear remodelar a sua casa antiga, mas não sabe bem que passos seguir, deixamos-lhe aqui algumas dicas imperdíveis, em colaboração com o Habitissimo:

Avalie as necessidades

A primeira coisa a fazer é um levantamento das coisas que são necessárias na remodelação da casa, não esquecendo aquilo que será necessário para manter a estética antiga do local. Assim sendo, terá de avaliar ao pormenor o estado do imóvel, fazendo um levantamento de eventuais locais mais problemáticos, de zonas mais degradadas e que necessitam de rápida intervenção e de espaços críticos que devem ser obrigatoriamente resolvidos. Para garantir que o levantamento é detalhado, o melhor será sempre contar com ajuda profissional, que o poderá ajudar também a priorizar e planear a remodelação da melhor forma.

Que tipo de obras são necessárias?

Segundo a legislação nacional, são vários os tipos de obras existentes, e a sua casa pode necessitar de um ou mais destes tipos de obras para ficar reabilitada. Antes de começar os trabalhos, veja que tipo de obras serão necessários para o seu caso:

  • Obras de grande reorganização espacial: são obras que trazem grandes mudanças à casa, necessitando quase sempre de autorizações camarárias. Estas obras incluem projetos como a adição de divisões ao espaço;

  • Obras de pequena reorganização espacial: são obras que não alteram com a dimensão e forma de escadas ou corredores nem com a localização, total de divisões da casa ou número total de pisos. No geral, são consideradas obras mais simples;

  • Obras de ampliação: nestas obras, há um aumento da área total de construção, ou um aumento da altura ou do volume da fachada;

  • Obras de reconstrução: implicam a demolição total ou parcial do edifício, reconstruindo em seguida a estrutura e fachada.

Licenças para a obra

Dependendo do tipo de obras que pretende fazer, será ou não necessária a emissão de licenças por parte da Câmara Municipal da sua área de residência. Caso não cumpra a obrigatoriedade de licenças, poderá pagar uma multa bem avultada e até mesmo ser obrigado a destruir os trabalhos que não tinham sido licenciados. A regra geral é a de que tudo o que envolva uma alteração de fachadas, exterior da casa ou de elementos estruturais precisa de licença para ser feito. Se as obras forem feitas no interior da casa, em princípio apenas será necessária uma comunicação prévia da obra à Câmara Municipal. Para que não hajam dúvidas, o melhor é informar-se sempre junto das entidades camarárias competentes a necessidade de pedir licenças ou não, antes de iniciar a obra.

Não se esqueça dos apoios financeiros

Muita gente não está ciente disto, mas existem apoios financeiros para a reabilitação de casas antigas. A Câmara Municipal pode ser um excelente ponto de partida, já que o podem informar melhor sobre os apoios disponíveis. Poderá também contratar um consultor na área, sendo que o valor dos seus honorários poderá ser bem inferior ao que irá poupar, relativamente ao que irá receber para as obras de remodelação da sua casa. Como exemplos de apoios financeiros, temos o Programa Casa Eficiente 2020, uma iniciativa do governo que pretende conceder empréstimos vantajosos a quem queira melhorar o desempenho ambiental dos seus edifícios, com enfoque especial na eficiência energética, hídrica e na gestão dos resíduos urbanos. Poderá também candidatar-se ao IFRRU 2020, que se trata de um instrumento financeiro que apoia a reabilitação urbana e que é concedido a entidades públicas ou pessoas singulares ou coletivas, como condomínios.

Apoio: Habitissimo


« Voltar atrás